No documentário da BBC Newsbeat, Kojima também falou sobre as mensagens que ele quis passar em Death Stranding. Segundo Kojima, o tema principal do jogo são as conexões.

Em Death Stranding temos um sistema chamado de “Strand” onde os jogadores podem criar estruturas para viajar pelos cenários. E essas estruturas podem ser usadas nos mundos de outros jogadores, criando uma conexão entre eles.

“Nós estamos conectados pela internet mais do que nunca, mas o que está acontecendo é que as pessoas estão se atacando porque estamos tão conectados,” disse Kojima na entrevista.

“O Presidente Trump está agora mesmo criando uma parede. Então temos a Brexit, onde o Reino Unido está tentando sair, há muitas paredes e pessoas pensando apenas nelas mesmas no mundo.”

“Nesse jogo, nós usamos pontes para conectar coisas, mas destruir essas pontes pode transforma-las instantaneamente em paredes. Então pontes e paredes são quase sinônimos. Essa é uma das coisas que eu quero que os jogadores pensem sobre no jogo.”

“Depois de passar dezenas de horas jogando você vai voltar para a realidade no fim. Quando fizer, eu quero que você use o que aprendeu no jogo. Se conectar é uma dessas coisas.”

Além de política, Kojima também explicou o motivo da sensação de solidão criada por Death Stranding. Segundo ele, isso teve muita influência da sua experiência pessoal. “Sou muito propenso à solidão,” explicou.

“Acho que há pessoas semelhantes no mundo, principalmente jogadores. Mesmo que eles estejam se divertindo com outros quando estão sozinhos jogando vídeo game na sua sala, eles não sentem que se encaixam na sociedade ou na sua comunidade. Então quando essas pessoas jogam esse jogo percebem que pessoas como elas existem em todo o mundo. Sabendo que mesmo estando sozinho, há outras pessoas como eu que as fazem se sentir à vontade, é o que eu gostaria que elas sentissem ao jogar o jogo.”

Death Stranding será lançado para PlayStation 4 no dia 8 de novembro. Uma versão de PC será lançada em 2020.

Comentários